Consequências da cesariana - como os medos reais são

Saúde

As possibilidades da medicina moderna são tãosão amplos, que ao decidir sobre os métodos de parto, os médicos e a própria mulher podem escolher a opção mais adequada que preservará a saúde e a vida da mãe e do filho. Graças aos avanços da medicina moderna consequências negativas da cesariana é minimizada, como evidenciado pelo fato de que em gestações subsequentes não são necessariamente para entrega usará cesariana, e pode muito bem haver gêneros independente. É por isso que uma mulher deveria estar interessada na questão - como se recuperar depois de uma cesariana, e não a questão - é a cirurgia necessária.

Cesariana - "operação de moda" ou necessidade

No entanto, para negar o fato de que com todoso número de tais operações está apenas aumentando, é impossível. Isto não é devido ao fato de que os médicos estão tentando ganhar algum dinheiro extra para si mesmo (após cesariana é normalmente paga por pacientes agradecidos mais generosa do que o parto natural), mais culpar a tendência geral da deterioração da saúde e até mesmo a moda atual.

Todos os anos a obstetras-ginecologistas vemcada vez mais mulheres grávidas que têm anormalidades de saúde sérias o suficiente antes da gravidez, e em algumas mulheres a necessidade de cirurgia ocorre enquanto o bebê está esperando. De fato, a tomada de decisão cuidadosa e equilibrada permitirá reduzir as consequências da cesariana ao mínimo, e o corpo da mulher poderá se recuperar rapidamente. Então a jovem mãe será capaz de se dedicar ao cuidado do bebê.

Cesariana - quando a operação é justificada

Na literatura popular pode-se encontrar muitosos artigos nos quais se diz que a entrega operativa não permite sentir até o fim em si uma mãe. Isso se deve ao fato de que, durante o parto operatório, não há curso normal do ato de nascimento, e a mulher não experimenta todas as "delícias" do processo. De fato, todas essas afirmações, além de informar que as conseqüências da cesariana farão com que o corpo da mulher se recupere por um longo tempo, e a criança possa ter desvios no futuro, são em grande parte inventadas.

Em condições modernas, cesarianaé realizada apenas quando há um testemunho objetivo disso: desvios no estado de saúde da mulher, em que o ato de nascimento é muito mais perigoso do que as conseqüências de uma operação de curto prazo. Por exemplo, na patologia do sistema cardiovascular e dos rins, doenças endócrinas, doenças oculares. Também precisa parto cirúrgico na presença de características estruturais da futura mãe do esqueleto - pélvis estreitas anatômicos e clínicos (em último caso, o tamanho da pelve na mulher normal, mas o tamanho da criança, por qualquer motivo, são maiores, ou seja, é um fruto grande).

Em alguns casos, a necessidade de executarcirurgias também podem ocorrer de acordo com as indicações da criança - se o feto está na posição errada no útero, características da localização da placenta, anomalias da localização do cordão umbilical. Deve-se lembrar que, com a apresentação da cabeça, a alça umbilical no colo da criança não é indicação de cesárea, enquanto que na apresentação pélvica essa complicação pode ser um dos argumentos a favor da intervenção.

Complicações após a cirurgia - como evitá-las

Complicações após cesárea com correçãoA realização de consultas médicas não ocorre com mais freqüência do que após o parto natural. O estado do bebê é muitas vezes melhor do que se poderia esperar, porque o processo de parto, que é bastante estresse, é excluído. Mas devemos lembrar que os efeitos da cesariana, assim como de qualquer cirurgia abdominal, dependem em grande parte do estado de saúde da mulher antes da gravidez e do parto. Se a decisão sobre o parto cirúrgico foi tomada a tempo, a probabilidade de complicações é reduzida.